Produtor de Like a Dragon (Yakuza) ficou surpreso em saber que as missões secundárias do jogo são vistas como "bobas" no Ocidente



Missões foram feitas para dar maior profundidade ao protagonista.


A franquia Like a Dragon, anteriormente conhecida como Yakuza, sempre se destacou por suas missões secundárias que trazem diversas histórias inusitadas, as quais muitos consideram como bobas, ao contrário da campanha principal que possui um tom mais sério.


Em uma recente entrevista, a equipe da RGG Studio afirmou ter ficado surpresa que os jogadores no Ocidente consideram tais histórias bobas. Embora ele admita que algumas consigam fazer os jogadores darem uma risada, elas não foram feitas para serem bobas, mas sim para mostrar o desenvolvimento dos personagens.


Masayoshi Yokoyama, o produtor executivo, comentou:


Foi notado que no Ocidente para alguns dos jogadores, as histórias secundárias são vistas como bobas, mas nós realmente não tínhamos ideia de que era percebido assim. Para ser honesto com você, as histórias secundárias são uma peça secundária onde elas se focam no desenvolvimento do personagem principal, Kiryu, e mostram as múltiplas facetas desse personagem para que ele possa dar uma ênfase mais ampla na história principal e [dar] mais profundidade para a história.

Para simplificar, não havia ênfase em fazer as histórias secundárias mais bobas.


Para o produtor, é preciso ter um bom equilíbrio entre a trama principal e as missões secundárias. Quando a história está em um clima mais sério, as secundárias não podem prejudicar esse tom criado.


Quando se trata de histórias secundárias e histórias principais, há muito cálculo para fazer a história fluir muito bem. Se a história principal estiver em um clima sério com muita tensão, não queremos ter uma história secundária boba que acabe com esse clima. Temos que pensar sobre o que a história secundária fará com a história principal e vice-versa, para que tudo se encaixe como peças de um quebra-cabeça.

Quando se trata de como o equilíbrio é obtido, o [ritmo] da história principal, quando fica sério, é muito sério. Então, quando você tem as histórias secundárias que saem um pouco do enredo principal, elas estão lá para trazer mais profundidade ao personagem.


Outro fator que precisa ser levado em consideração é os minijogos. A franquia Like a Dragon sempre teve diversos desses, mas para o produtor é preciso ser bem pensado qual será adicionado para que se encaixe no cenário em que a história está se passando.


Basicamente, quando você tem uma história, a história em si dá a você o palco com o qual você pode trabalhar, a cidade ou o país onde a história se passa. A partir daí, você pode pensar em quem são os personagens principais dessa história e fazer com que se encaixe no jogo, incluindo em que era se passa e quais minijogos são adequados e apropriados para se ter dentro desse cenário.


Game Vicio 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem